Psicólogo(a)? Fatores para mais pacientes através do teu website

Para quem trabalha como psicólogo(a), conseguir alcançar uma agenda preenchida não é fácil, especialmente ainda para quem está a começar, sendo até possível se sentir desamparado(a) no início de carreira.

O meu objetivo com este artigo é dar-te uma ajuda extra no sentido de vencer qualquer destes desafios.

Como sou Web Designer vou-te dar contributos de vários aspetos a ter em conta no teu website para que o potencial paciente que visita o teu website venha de fato a recorrer aos teus serviços enquanto psicólogo(a), em vez de continuar a procura para outros lados.

O design e conteúdo do teu website são a primeira impressão com que o teu potencial utente fica do teu consultório/prática. E lá vai tirar pistas necessárias sobre se és a pessoa adequada para o acompanhar, tanto para consultas de psicologia clínica, psicoterapia, outras…

 É verdade que o boca-a-boca continua a ter o seu peso, no entanto continua a perder força face à internet onde atualmente mais de 50% inicia a sua procura para um terapeuta.

E se pensarmos em nós próprios, mesmo quando alguém nos fala bem de determinado serviço ou profissional, muitas vezes acabamos por querer ir procurar mais informação à internet sobre esse profissional antes de avançar.

Agora, sem mais demoras :

7 Pontos a aplicar no teu website para mais pacientes

1- Evita frases/jargão com as quais o visitante não se conecta

Vejo recorrentemente muitos sites de psicologia que usam frases complicadas (do ponto de vista dos visitantes). Por exemplo frases em destaque de Sigmund Freud ou Carl Jung.

Estas frases podem ser interessantes para outros psicólogos que visitem o nosso website, de facto.

Mas…

Não queremos que o nosso website agrade a outros psicólogos!

Queremos sim que agrade aos visitantes que vêm ao nosso website e que se podem transformar em nossos pacientes.

O jargão afasta os teus potenciais pacientes de ti, pois muitos não compreendem esse jargão e também não estabelecem a ligação dessas frases difíceis com aquilo que realmente precisam, ou seja a resolução dos problemas.

Tanto quanto possível o texto/copywriting do teu website deve-se focar nessa resolução dos problemas do visitante.

Agora imagina que em vez de o paciente ler aquela frase complicada do fundador da psicanálise, ele lê antes em destaque:

“ Você merece ser feliz ”

ou

“Ajudamos no Stress ou Ansiedade”

Sem dúvida que aqui vai captar muito mais a atenção do futuro paciente, e vai conseguir relacionar mais facilmente estas frases com a sua própria vida.

Temos que nos lembrar… Não podemos usar o nosso website apenas para agradar a outros psicólogos ou falar muito de assuntos ligados à psicologia dos quais gostamos enquanto entendidos na área.

Pelo contrário… Temos de ir ao encontro dos pacientes os quais se preocupam acima de tudo se os vamos ajudar nas suas problemáticas.

2 - Usa Copywriting Empático

Se não souberes o que é copywriting não te assustes.  Copywriting é a produção de conteúdos focados na conversão, ou seja, que guiam o leitor a uma ação específica.

Neste caso a ação específica pode ser entrar em contato contigo para marcar uma consulta. Tanto se aplica a websites mas também a outras formas de marketing ou branding.

Um dos princípios mais importante do copywriting é colocarmo-nos nos pés da outra pessoa, tentando perceber o que vai na sua cabeça, quais são os problemas e desejos.

Por isso já sabes, faz por desenvolver uma conexão empática com o teu potencial paciente desenvolvendo portanto copywriting empático no teu website, o que mostra empatia e que sabes por aquilo que estão a passar, ou o que desejam.

3- Mostra Autoridade

Um site que mostra autoridade é um site que serve para construir uma percepção da tua competência na mente do visitante. Este conceito vem do termo de “Authority” que surgiu ligado ao marketing Norte-Americano.
Não estamos a falar da autoridade ligada à polícia 😉

Ou seja falamos de um website que contém conteúdo, artigos e vídeos que são do interesse do teu futuro paciente e que acaba por mostrar que és bom/competente naquilo que fazes. Ou seja mostra que és uma “Autoridade” naquilo que frazes.
Por exemplo no caso de um psicólogo que trabalhe exclusivamente com orientação vocacional, o seu website deve ter lá no início da sua concepção,  pelo menos 6 artigos sobre orientação vocacional.

Exemplos de artigos: “3 passos para descobrir melhor o que queres fazer no futuro”, “como escolher a minha carreira”, etc… Ou seja artigos que seriam úteis para os visitantes daquele profissional e que ao mesmo tempo lhes permitia saber que aquele profissional é competente naquela área.

Ou seja este tipo de site autoridade é bem melhor do que o chamado “site institucional” também chamado de “site vitrine”.

O problema do site vitrine é que ele limita-se a mostrar o que fazes e os teus serviços, o que fica aquém no que diz respeito a convencer os visitantes a avançar para os teus serviços.

4- Fotografia Própria

Bem… Este aspeto é de aplicação rápida!
Coloca pelo menos uma fotografia tua para as pessoas saberem com quem se vão encontrar.
É uma forma também de as pessoas começarem a criar uma conexão contigo.

A ausência de fotografia do profissional em questão tem obviamente o efeito inverso, ou seja, causa desconfiança no visitante sobre a razão pela qual o profissional não dá a cara.

Se possível, coloca também fotografias do espaço/consultório, pelas mesmas razões mencionadas acima.

A biografia também é claro uma peça importante, idealmente colocada na página Sobre.

5- Usa uma Palete de Cores Relaxante

Cores frias têm tendência a ser mais calmantes, por isso os azuis e alguns verdes , tornam as pessoas mais à vontade, porque trazem uma sensação de tranquilidade.

No campo oposto, como exemplos de más escolhas estão cores brilhantes de vermelho, laranja, roxo, amarelo.

Também não recomendo o uso de paletes de cores à base de cinzas em websites na área de psicologia, pois trazem uma sensação de tristeza, falta de emoção e de movimento.

6- Marcações Automáticas

 Um das vantagens do uso destes sistemas de marcação automáticas, é que eles permitem evitar trocas de chamadas/mensagens necessárias, uma vez que o profissional coloca de antemão no sistema os horários vagos/ocupados e o paciente pode visualizando escolher rapidamente uma das horas vagas de acordo com a disponibilidade do profissional e a sua própria disponibilidade.

  Sugestão importante: se a tua atividade profissional ainda não está no nível que desejas, e ainda tens muitas horas vagas, não as mostres todas.
O potencial paciente ao reparar que tens muitas horas vagas pode associar muito tempo vago a má qualidade de serviço, o que provavelmente não é o caso.

O sistema que costumo usar para os websites de psicólogos e que funciona muito bem chama-se Calendly. E tem a vantagem de ter versão gratuita para pequenos consultórios.

7- Define o teu Público-alvo

Exemplo pertinente: Se sabes que a maioria dos seus pacientes são mulheres adultas, fará sentido ter maioritariamente fotografias com mulheres ao longo do website.

Agora falando da tua prática, e não do website, no que diz respeito a definires um público-alvo.

Tentares atender a todas as demografias (idosos, adultos, adolescentes, crianças, outros…) e a todas as especialidades (psicologia clínica, familiar, sexologia, acompanhamento parental, psicoterapia e outros) pode também ter o efeito nefasto de te não conseguires sentir 100% confiante nas consultas para todos os tipos de necessidades, o que pode por sua vez minar a confiança dos pacientes em ti.

A ideia aqui é que o paciente ao ter o suporte preciso que necessita, vai ganhar mais confiança em ti, uma vez que te tornas mais eficaz no que fazes.

BONUS EXTRA

Embora não relacionado com websites, não resisti a partilhar este vídeo que visualizei, e que aporta muito valor, sobre como como criar uma estratégia a médio prazo na atração de pacientes, e que não envolve a típica publicidade/marketing pagos.

Espero que este artigo te seja útil 🙂

Um bem haja,

Gabriel,

Podes também ler:

On page seo - foto com palavra seo

On-Page SEO

Tabela Resumo ON-PAGE SEO Quais os factores? Os factores de ranqueamentoSEO  On-Page são os seguintes: Url Meta Title & Meta Description Headings

Ler Mais»
Imagem com webdesigner

Webdesign: o que é?

Por vezes pensa-se que web design é apenas e somente ‘criação de websites’. E que qualquer pessoa criadora de websites é um

Ler Mais»